Entendendo de uma vez por todas o que é o Windows Server 1709 – Um resumo objetivo

Windows Server 1709

Faaala galera, 100%?!

Antes de começar a ler esse artigo, clique aqui e conheça meu canal no youtube…tem muito conteúdo legal lá! \o

A um tempo atrás, mais exatamente em outubro, a Microsoft apresentou a nova versão do Windows Server, o tal do Windows Server 1709!! Wait a second….NOVA VERSÃO?! É isso ai, pra começarmos o papo já entenda e cole isso em sua mente: O Windows Server 1709 é uma NOVA VERSÃO do Windows Server, não uma atualização do Server 2016!

Muita confusão rolou com esse release. A ideia dessa artigo é justamente apresentar essa nova versão e as diferenças a nível de funcionalidade e atualização (sim, tem diferença).

O tal do Semi-Annual Channel

Para começarmos a conversa o Windows Server 1709 (seventeen oh nine, se você quiser pronunciar como os gringos) é um, dos DOIS, releases (lançamento) no novo formato de atualizações de produtos da Microsoft, chamado de Semi-Annual Channel. Neste formato novas funcionalidade, e me arrisco a dizer, versões como um todo, serão lançadas semestralmente, beneficiando quem procura por inovação de forma mais rápida.

De forma bem clara, vejamos como funciona de forma clássica: Os produtos Microsoft, falando especificamente do Windows Server, estavam enquadrados no LTSC (Long-term Servicing Channel), neste, novas versões eram lançadas a cada 2~3 anos e possuiam cerca de 10 anos de suporte sendo 5 já planejados e 5 de extensão. Com o Semi-Annual Channel o que vai rolar são atualização e adição de novos recursos e funcionalidades a cada 6 meses e cada versão terá suporte por 18 meses a partir de seu lançamento! Uma outra diferença é que para ter acesso e utilizar o Semi-Annual Channel é necessário ter o Software Assurance, que é um tipo de contrato diferenciado…mais detalhes aqui.

Uma figurinha pra ajudar na compreensão

Agora provavelmente você está se perguntando: Então, a partir de agora, a galera que usa LTSC terá menos recursos?! Sim e não. A curto prazo sim, pois novos recursos e funcionalidades serão adicionados de a cada 6 meses. E o “Não” vem por que, tudo que as versão semi-annual receberem de novidades também será adicionado as versões LTSC, o que muda é o tempo de espera para que essas novidades cheguem ao produto com contrato clássico (digamos assim). Para resumir a opera, da uma olhada na imagem abaixo.

image

Entendido agora!? Fiz essa explicação para deixar claro que não se trata de um update ou patch e sim de uma versão nova, a cada 6 meses. Se quiser mais detalhes sobre assista o vídeo abaixo.

O que tem de novo?

Tendo isso em mente, vamos para as novidades do seventeen oh nine (1709).

Como já foi visto ali na imagem a nova versão do Windows Server é indicada para cenários de virtualização e ready-to-cloud. Todo o sistema foi reestruturado para entregar um ambiente super enxuto e estável. A primeira grande diferença é o tamanho da imagem. Saímos de 390MB para 80MB. Com esse tamanho era esperado que não teríamos interface gráfica. Todo o gerenciamento deste deve ser realizado por linha de comando (Lembra que falei para aprender PowerShell logo?Pois é!). Os administradores acostumados a utilizar o Server Core não sentirão muita diferença. Obviamente será possível gerenciar esse cara utilizando o Project Honolulu, o que já é uma grande ajuda para os não tão familiarizados com os CmdLets.

Lembra do Nano Server? Então, ele foi “deprecated” ou “aprosentado”, por falta de uma tradução melhor. Ele foi substituido pelo Nano Container, que nada mais é do que o Nano Server rodando como uma Container Image.

Recursos voltados a otimização de virtualização estão presentes, como: Storage-class memory support for VMs, Virtualized Persistent Memory (vPMEM), Container storage – persistent data volumes on cluster shared volumes (CSV) entre outros. Foi adicionado suporte a mapeamento de um compartilhamento SMB dentro de um container, assim como a possibilidade de acesso persistente a CSVs. Além disso um arquivo de configuração de VM adicional foi incluido, o .vmgs. Esse cara traz informações de estado de dispositivos.

A nível de segurança o 1709 pode atuar como HGS (Host Guardian Service) para VMs que usam o Shielded VM. Há…uma grande novidade é que VMs Linux também podem ser protegidas pela blindagem. Se não está por dentro do que é o Shielded VM ou Blindagem de VM, clique aqui e vejo meu artigo sobre. Um lance legal também é a possibilidade de criptografar segmentos de SDN (software-defined networking).

O Storage Replica com recurso de Disaster Recovery Protection, adicionado no Windows Server 2016, foi extendido e agora conta com Failover Test e suporte ao Projeto Honolulu. Algo para se atentar é que o famoso, querido e odiado SMBv1 não vem habilitado por default no Windows Server 1709. Além disso temos suporte ao ReFS no Data Deduplication.

Viram que tem muita coisa nova e bacana neste release, certo? Imagine isso semestralmente. Essa é a ideia da Microsoft: Prover inovação em curto prazo e extender todas essa novidades ao publico que fará uso do LTSC. Particularmente, a primeira vista, eu não tinha curtido a ideia do semi-annual channel, mas, após algum estudo vi que determinados ambientes podem e serão beneficiados por essa chuva de atualizações.

Há, um ponto importantissimo a se lembrar é que o Windows Server 2016 NÃO DEIXARÁ DE RECEBER ATUALIZAÇÕES. O que não ocorrerá é a adição de recursos e funcionalidades semestrealmente.

Como eu sei que você é estudioso e quer mais informações, de uma olhada aqui e aqui.

Por hoje é só! Espero que tenha ajudado…grande abraço! \,,/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *